Sabe ler o rótulo do vinho?

Há quem "beba o vinho pelo rótulo" sem saber como ler o rótulo do vinho. Evite isto e aprenda a fazer escolhas mais acertadas.

Nome do Vinho

Surge, normalmente, em destaque no centro do rótulo. Identifica a marca do vinho, que apesar de poder vir do mesmo produtor de outros vinhos, é diferente. Daí a necessidade de destacá-lo com um nome próprio e não apenas com a casa do produtor.

Nome do Produtor

A seguir ao nome do vinho, é a informação que costuma ganhar mais destaque no rótulo de uma garrafa de vinho. Pode acontecer, no entanto, que veja a mesma marca ou a casa do produtor como o nome do vinho. Aí deve depois prestar atenção às outras informações do rótulo.

Região ou sub-região do vinho

A região da sua produção influencia diretamente o seu sabor, textura e aroma. Existem três tipos de identificação de vinhos produzidos na União Europeia.

Vinhos com “Denominação de Origem Controlada”

Estes vinhos são identificados com a sigla DOC e seguidos da região de produção. Por exemplo, DOC Douro. Dentro deste tipo de certificado de origem, existem outros nomes consoante os países de produção:

  • França. Destaca-se o OC – Appellation Origine Contrôlée.
  • Espanha e Brasil. Utiliza-se DO - Denominación de Origen (Denominação de Origem).
  • Itália. Itália utiliza a mesma sigla de que Portugal, DOC. Mas para além dessa, tem uma segunda: DOCG - Denominazione di Origine Controllata e Garantita.
  • Alemanha. Os vinhos da Alemanha são certificados com a sigla QBA – Qualitätswein Bestimmter Anbaugebiete;

Vinho Regional

A região desse vinho deve vir identificada. Por exemplo, Vinho Regional das Beiras.

Vinho de Mesa

É o vinho produzido com uvas de diferentes regiões. Devem constar no rótulo as informações “Produto de Portugal”, “Vinho de Portugal” e “Produzido em Portugal”. Se se trata de um vinho da União Europei de condições semelhantes, vem designado com Vinho UE.

Volume Nominal

É a quantidade de vinho que vem dentro da garrafa ou garrafão. Pode vir em litros, centilitros ou mililitros. Se, por exemplo, se tratar de uma garrafa standard, este volume vem expresso como 0,75 L, 75 cl ou 750 ml.

Teor de álcool

O teor de álcool também influencia diretamente a experiência de sabor com o vinho. Quanto maior o percentual de álcool, maiores são as sensações de força e calor transmitidas ao palato. Este valor é expresso com a percentagem de álcool em relação ao volume do vinho. A diferença entre o teor alcoólico indicado na rotulagem e o determinado por análise nunca pode exceder 0,5 % vol.

Para além das sensações do palato para que tanto contribui o álcool, este também é importante para a preservação e longevidade do vinho. Por isso, saiba que quanto mais álcool tiver um vinho, mais tempo durará, quer tenha aberto ou não a garrafa.

Ano de Colheita ou Safra

Safra é o termo utilizado para definir o ano de colheita de determinado produto agrícola, tal como o vinho. Esta informação é importante pelas seguintes razões:
Qualidade. Define se o vinho é de um ano com boa colheita;
Validade. Ajuda a delimitar a validade do vinho. Por exemplo, a maioria dos vinhos brancos e rosés devem ser consumidos dentro de 2 ou 3 anos enquanto a maioria dos tintos em até 5 anos.
Longevidade. Esta informação define os vinhos de guarda, aqueles que podem evoluir por muitos anos e até mesmo décadas.
Por outro lado, verá garrafas sem menção à safra do vinho. Isto porque foram produzidos com uvas colhidas em anos diferentes. Isto acontece, por exemplo, na maioria dos vinhos do Porto e vinhos espumantes.

Maturação

A par do ano de colheita, a maturação é outra informação acerca da idade e qualidade do vinho. Ao ler o rótulo de uma garrafa de vinho pode encontrar escrito “Reserva” ou “Grande Reserva”. Isto refere-se à maturação do vinho.

E o que é esta maturação? Tem a ver essencialmente com dois momentos do processo do vinho.

Colheita

Durante a colheita, houve um cuidado especial na seleção das uvas que fizeram aquele vinho.

Armazenamento

Durante o armazenamento do vinho, foi deixado a envelhecer cuidadosamente em barris de carvalho ou na garrafa. Este período de maturação do vinho, ajuda a que enriqueça em sabor, aroma, estrutura e taninos, e equilibra a sua acidez e adstringência.

Castas

A casta identifica a variedade da uva utilizada na produção de um vinho. Naturalmente, cada tipo de uva produz um vinho com características diferentes.

  • Tintas. Entre as castas de tinto existem, por exemplo, o Touriga Nacional, o Syrah ou o Aragonês.
  • Brancas. Nas castas de vinho branco podemos mencionar o Cabernet Sauvignon, o Riesling ou o Alvarinho.

Quais as informações mais importantes?

As informações mais importantes são aquelas que definem o sabor do vinho. E também o seu valor comercial. Assim, e de acordo com as suas preferências vinícolas, deve escolher um vinho olhando para:

  • Região;
  • Teor de álcool;
  • Ano da colheita;
  • Maturação;
  • Castas.

Agora que já sabe como ler o rótulo do vinho, é altura de fazer escolhas. E serão tão mais acertadas, quanto melhor harmonizarem com o prato que o acompanha.


PRODUTOS RELACIONADOS


TAMBÉM VAI GOSTAR

  • Enólogo: Madeira e Açores
    Enólogo: Madeira e Açores
    O arquipélago dos Açores define-se pelos seus solos, de origem vulcânica, pouco espessos e relativamente recentes.
    Continuar a ler
  • Parmigiano Reggiano: sabor a Itália
    Parmigiano Reggiano: sabor a Itália
    Desde a antiguidade, o queijo faz parte da vida e cultura da Itália. Descubra tudo sobre o parmigiano reggiano e outros queijos italianos emblemáticos.
    Continuar a ler
  • Presunto: sabor, cultura e tradição
    Presunto: sabor, cultura e tradição
    O consumo de presunto é uma parte tão essencial da nossa cultura e tradição que temos vindo a encontrar cada vez mais formas de integrar a sua presença em todas as refeições do dia. Descubra todas as vantagens e formas de consumo do presunto.
    Continuar a ler
  • O processo de degustação
    O processo de degustação
    É através da degustação que temos a oportunidade de descobrir os prazeres que um vinho proporciona. Quase todos os sentidos são ativados e uma prova bem conduzida permite viver experiências únicas. Descubra como deve ser realizado este momento e quais as principais etapas de uma prova de vinhos. 
    Continuar a ler
  • Vinho Rosé: frescura e leveza
    Vinho Rosé: frescura e leveza
    O vinho rosé combina uma frescura inigualável com um sabor leve e intenso. Durante anos visto como inferior ao vinho tinto e branco, tem conquistado um lugar de destaque à mesa nos últimos tempos. Descubra porquê.
    Continuar a ler
  • Estes são os melhores vinhos para acompanhar petiscos
    Estes são os melhores vinhos para acompanhar petiscos
    A arte de petiscar é essa apurada forma de estar, com a comida e o vinho a servir de pretexto para contar histórias de família, construir uma amizade única ou simplesmente escrever a história de um momento que se guarda para sempre.
    Continuar a ler